Tecnologia

Como melhorar as skills de Alexa da Amazon?

By  | 

Para os utilizadores recém-chegados ao fascinante mundo dos assistentes virtuais, é possível que nos primeiros dias de utilização ainda seja prematuro aventurar-se e criar competências em Alexa, sem sequer conhecer muito bem o potencial desta coluna da Amazon.

No entanto, para aqueles que estejam a confundir algumas ideias e não entendam muito bem como tirar o melhor proveito de assistentes virtuais que tornam a vida mais fácil, apresentamos-te um guia. Abaixo poderás aprender a melhorar as skills para Alexa e não é tão complicado como parece. Estes avanços da tecnologia, garantidos pelos assistentes inteligentes, oferecem muitas possibilidades de personalização, e por isso vamos contar-te como melhorar e até como criar skills em Alexa! Toma nota!

Como melhorar as skills de Alexa

O que é a Alexa e como é que funciona?

O conceito de “Alexa” não é algo novo na tecnologia, uma vez que é uma das áreas em que aposta a Amazon há mais de uma década. Na verdade, a Alexa é um assistente virtual ativado por voz que responde a qualquer pergunta que o seu utilizador coloque. Basta dizer a palavra “Alexa” seguido daquilo que pretendes que seja realizado, como por exemplo “Alexa, atende a chamada”. Trata-se, pois, de um dispositivo de assistência virtual fomentado por inteligência artificial.

O que faz a Alexa?

O mundo de possibilidades de tarefas da Alexa é imenso. Poderás ouvir as músicas que mais gostas e que estejam disponíveis em streaming, como por exemplo em Spotify. Poderás também conhecer as notícias mais marcantes do dia, as previsões metereológicas para qualquer parte do mundo ou ainda situações do trânsito. Tudo isso com a tua voz.

A Alexa é a prova que a inteligência artificial existe já entre os humanos, e apesar de ser uma mera coluna de som, pode contar-te anedotas e fazer conversas. Existem muitas outras habilidades, como encomendar comida ou pedir um Uber.

Aprende a criar uma skill para Alexa

Em primeiro lugar, Amazon cria uma programação um tanto peculiar baseada principalmente numa interface visual que simplificará bastante todo o processo de organização. Toda a programação de Alexa é executada através da famosa plataforma AWS (Amazon Web Service), que é a base de operações de todos os sistemas tecnológicos de Amazon.

Por isso, o primeiro passo é criar assim uma conta em Amazon Developers Services (ADS) para poder criar o que chamaremos de “modelo de interacção” que iremos detalhar mais para a frente.

1. Programar skills de Alexa: os modelos de interacção

Depois de teres criado a tua conta, com a Alexa Skills Kit simplesmente seleccionamos “Criar uma Skill” e colocamos um nome. Desta mesma forma poderás também definir um idioma da Skill.





Já estás preparado para criar um primeiro modelo de interacção! Este modelo, de maneira resumida, é a entidade que representará a skill em questão, pelo que deves incorporar vários elementos: nome, declarações  (utterances), propósitos (intents), etc.

Uma vez selecionado o nome, tens que definir os propósitos de dita interacção. Isto é algo muito particular da skill que estás a programar! Por exemplo, se queres fazer de Alexa um motor de pesquisa de dinossauros, poderás seguir os seguintes passos.

  • Um propósito para executar uma acção, e qual será o nome do dinossauro em questão
  • Outro propósito para cancelar a acção levada a cabo.
  • Outro para devolver algum resultado nulo, en caso de não encontrar dinossauros.
  • E um que servirá para ajudar o usuário em caso de dúvida.

É importante verificar bem todos os cenários como estados possíveis, em que a aplicação poderá acabar em função das nossas intenções.

Como melhorar as skills de Alexa

2. Escolher os pontos de destino (Endpoints)

Neste passo intermédio tens que decidir se queres que o teu modelo de interacção trabalhe com um servidor da propriedade onde estás a implementar a tua lógica, ou se preferes usar serviços de Amazon como AWS Lambda, como veremos a seguir.

Se optas pela segunda opção, tens que seleccionar qual será o ponto de destino (endpoint), ou seja, onde deve dirigir-se Alexa quando te enganas na tarefa pedida. Chegando a Endpoints, simplesmente terás que seleccionar uma função AWS Lambda e já estarás preparado para o último ponto.

3. Programar skills para Alexa

Uma vez que tenhas o modelo criado, a última parte é sem dúvida a mais complexa e requer que procures alguns exemplos de códigos online. Nesta parte necessitas criar a função em AWS Lambda, serviço que permite executar o código remoto muito parecido ao conhecido Google Script. Portanto, este é o último ponto onde tens que saber alguma coisa de programação de forma a tomar alguns exemplos que já existem e que poderão ser adaptados à tua ideia.

Neste código toma como referência o modelo anteriormente criado e podes tornar-se real os seus "propósitos" (por exemplo, procurando em Wikipédia informação sobre dinossauros). Será demasiado extenso explicar este processo, mas tendo a idea em mente e seguindo estas três partes, o conceito geral ficará o suficientemente visível para que entendas como funciona melhorar as skills de Alexa.

Comments

comments

[was-this-helpful]

Olá! Eu sou o Marcelo, um cinéfilo assíduo e um treinador de Pokémon competente e penso ter descoberto todos os segredos do mundo geek.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.